domingo, 25 de junho de 2017

Há tampas e tampas

No mundo da reciclagem, nem todas as tampas são iguais, e nem todas servem para ajudar quem precisa. Actualmente, há várias empresas e entidades em Portugal a proceder à recolha de tampinhas e que depois convertem o dinheiro gerado na aquisição de material médico, ortopédico ou similar, como cadeiras de rodas, por exemplo. Mas sabe quais são as tampas certas a entregar?

As tampinhas têm de ser obrigatoriamente de plástico (tampas de embalagens de polietileno de alta densidade e de poliprolipeno), preferencialmente de líquidos alimentares (água, sumos, iogurtes líquidos, champôs, detergentes, amaciadores ou similares).

Não são aceites:
  • ·         Tampas de outro tipo de plástico diferente;
  • ·         Tampas de jerricans;
  • ·         Tampas que contenham componentes metálicos, como, por exemplo, molas;
  • ·         Tampas de embalagens que contiveram produtos perigosos;
  • ·         Tampas com restos de colas, tintas, vernizes, produtos de gráfica, silicones, terra, gordura ou outro tipo de contaminante;
  • .     Tampas de embalagens de margarina ou de tupperware ou cones de linhas.


As rolhas aliaram-se às tampas

Como a união faz a força, já não são só as tampinhas que entram nesta história. Agora, as rolhas também têm uma palavra a dizer. O princípio é o mesmo: recolher o máximo de rolhas de cortiça possíveis e entregá-las às empresas de cortiça, para que possam reaproveitar este material e ajudar à reflorestação do país.

Durante algum tempo, a Take C'Air esteve associada à Acção Saca-Rolhas, das Guias de Portugal, em colaboração estreita com as Guias de Oeiras. As rolhas eram então recicladas em Vila Nova de Gaia e o dinheiro revertia para instituições de solidariedade social, normalmente ligadas a crianças.

Actualmente, a Take C'Air está a enviar as rolhas que recolhe para a Quercus, no âmbito do projecto Green Cork. Aqui, a cortiça das rolhas é reciclada, podendo ser usado em diversos produtos, como automóveis ou sapatos. 


Paralelamente, o dinheiro gerado é também canalizado para a plantação de árvores através do projecto Floresta Comum, ou ainda para apoiar algumas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) ou no incentivo à realização de obras de arte com rolhas de cortiça.

Por isso quando beber um vinho no avião ou num dos nossos outros parceiros, como o Hotel Tryp Aeroporto, no restaurante "Churrasqueira Central" na Tapada das Mercês ou ainda no restaurante "Água da cascata vai correndo na ribeira e acaba no mar" no Estoril já sabe: aquela rolha terá um destino feliz. Mas também pode fazer-nos chegar as rolhas directamente, deixando-as na APTCA ou no SNPVAC. A morada é a mesma: Avenida Almirante Gago Coutinho, nº 90, Lisboa.

domingo, 2 de abril de 2017

Vamos ajudar estes trigémeos



Para a Francisca, o Guilherme e o Rafael, as tampinhas têm um significado especial. É através da sua recolha que os pais conseguem pagar as terapias e o equipamento que os filhos necessitam.

Hoje com cinco anos de idade, estes trigémeos têm uma história difícil. A menina, a Francisca, nasceu com paralisia cerebral, e os dois meninos têm ambos síndrome de Leigh. Nenhum deles consegue andar, necessitando de cadeira de rodas para se deslocarem.

O Guilherme e o Rafael também têm epilepsia e são ambos alimentados através de uma sonda, devido às suas dificuldades alimentares e ao risco de aspiração da comida pelos pulmões. A Francisca, apesar de se encontrar bem ao nível cognitivo, apresenta grandes dificuldades a nível motor e requer muita atenção.

Para conseguir oferecer aos filhos melhores condições, este jovem casal iniciou a recolha de tampinhas de plástico. O dinheiro que conseguem reunir reverte para o pagamento das terapias dos trigémeos (fisioterapia, terapia ocupacional, hipoterapia, hidroterapia, etc) e para comprar os equipamentos necessários a melhorar a sua qualidade de vida. A Take C’Air tem ajudado através da cedência de parte das tampinhas que recolhe nomeadamente as do Bar no edifício 28 da TAP Portugal.

x

“Toca a recolher tampinhas”



O apoio da Take C’Air à recolha de tampas de plástico tem dado frutos mas, com uma maior ajuda e empenho de todos, pode ser ainda melhor. Desde o início deste ano, foram recolhidas cerca de 80 quilos de tampinhas. No ano passado, conseguimos um total de 339 quilos, um bom número, mas que poderia ser superior. Em 2015, a Take C’Air conseguiu juntar mais de uma tonelada de tampas de plástico (1312 quilos), perfazendo um total de 328 euros.

O projecto Tampas que são Rampas surgiu em 2003 pela iniciativa da Câmara Municipal de Sintra e destina-se a recolher as tampas de plástico das garrafas e doá-las a empresas de recolha de resíduos em troca de cadeiras de rodas e outras ajudas para pessoas com deficiência. Na Take C’Air, ajudamos este projecto dinamizando e organizando a recolha de tampinhas em várias companhias aéreas, escolas através ainda de particulares e outros parceiros, como a CateringPor ou o Hotel Trip Aeroporto em Lisboa.

Como os resultados podem ser ainda melhores, solicitamos a colaboração de todos os tripulantes e trabalhadores da TAP Portugal, que podem deixar as tampinhas nos pontos de recolha no TTA ou no Mock Up no Edf. 28.

O público em geral pode contribuir também, entregando as tampas no Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), na Avenida Almirante Gago Coutinho, nº 90, em Lisboa, ou na Estímulo ONGD (Organização Não Governamental para o Desenvolvimento), no Largo da Lagoa, 14B, em Linda-a-Velha.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Mais de uma tonelada de tampinhas


Desde o início deste ano, a Take C’Air já recolheu 1312 quilos de tampas de plástico, o que perfaz um total de 328 euros. As contas foram feitas pela Câmara Municipal de Sintra, a responsável pelo projecto Tampas que são Rampas.

A iniciativa surgiu em 2003, com o objectivo de recolher as tampas de plástico e doá-las a empresas de recolha de resíduos em troca de cadeiras de rodas e outras ajudas para pessoas com deficiência. Na Take C’Air, ajudamos este projecto dinamizando e organizando a recolha de tampinhas em várias companhias aéreas, escolas e outros parceiros, como a CateringPor ou o Aeródromo de Tires e de Ponte de Sor.

Os resultados estão à vista e podem ser ainda melhores. Por isso solicitamos a colaboração de todos os tripulantes, que podem deixar as tampinhas nos pontos de recolha no TTA ou nas Operações da PGA. Os colegas dos edifícios TAP podem deixar no edifício 28, no bar. 

O público em geral pode contribuir também, entregando as tampas no Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), na Avenida Almirante Gago Coutinho, n.90, em Lisboa, ou na Estímulo ONGD (Organização Não Governamental para o Desenvolvimento), no Largo da Lagoa, 14B, em Linda-a-Velha.

sexta-feira, 22 de maio de 2015


Os contentores para Tampas e Rolhas que se encontram no TTA TAP e na PGA, onde deves separar as tampas e as rolhas e colocar no contentor apenas isso, 
sem sacos, sem mais nada.
Obrigada!!!





Obrigada por ajudares a ajudar!!!


Projecto que estamos a apoiar: